www.srtupan.com.br

Duchy Originals
Notícias Blogs

04 Novembro 2014

Projeto Pescar

O período de um ano costuma parecer um tempo longo. Mas para aqueles que mergulham em um processo intenso de aprendizagem, esse tempo passa voando. Assim tem sido para a 5ª turma da Unidade Tupanciretã do Projeto Pescar: INTENSO!

“Se quiseres alimentar um homem por um dia, dá-lhe um peixe. Se quiseres alimentá-lo por toda vida, ensina-lhe a pescar”. Com este dito, Lao-Tsé e, mais adiante, Geraldo Linck, empresário gaúcho fundador do Pescar, embasaram a ideia central deste processo de ensino-aprendizagem: estimular a autonomia, a capacidade de qualquer sujeito de encontrar em si mesmo a força e sabedoria necessárias para lidar com os desafios da vida: “SIM, VOCÊ PODE!”

Durante 2014, inúmeras atividades e aulas preencheram os dias dos “pescares” para que esse aprendizado se concretizasse. E isto, em grande parte graças aos voluntários, que generosamente doaram seu tempo e conhecimento, compartilhando parte de sua história e experiências. Foram aulas de Português, Matemática, Línguas, Contabilidade, Departamento de Pessoal, Legislação, Empreendedorismo, Logística, Planejamento Organizacional, Meio Ambiente, Informática, Cidadania, Saúde, Família, Descoberta do Eu, entre tantas outras. Este papel não é fácil, pois é preciso coragem e jogo de cintura, além de ousadia para achar métodos estimulantes que ajudem os jovens a pensar e se engajar em novas formas de ver o mundo. O voluntário não só repassa saberes, mas dá razões para o aluno desejar saber: “POR QUE APRENDER? POR QUE MUDAR?”

Outro ponto alto, além das aulas, foi o engajamento comunitário, devido ao tema do ano no Pescar: Protagonismo em Rede que transforma. O desafio era fazer o jovem sair de sua “bolha”, perceber a realidade à sua volta e investir sua capacidade intelectual e até física, de tempo, energia e disposição para atuar onde vive, estendendo uma mão solidária e sincera ao vizinho. Saíram às ruas, foram até as instituições, escolas, EMEIs, Lar de Idosos, conversaram com os dirigentes, levantaram as demandas, criando projetos, levantando fundos e recursos com outras entidades, executando as ações e avaliando os resultados. Nesse processo, foram observando na prática o que é uma rede: conectar pessoas de todos os lugares, proporcionar encontros, fazer um bom uso dos recursos disponíveis direcionando-os para os locais que estão precisando. Demonstraram suas conclusões no Desfile de 7 de setembro, quando representaram a rede que se formou ao longo do ano. E se depararam também com conceitos como burocracia, complexidade, afinal todo jovem quer mudar o mundo e é preciso aprender como fazer isso. Na prática, não é fácil, mas começando por ele mesmo, não seria possível? Como a maioria das escolas, o Pescar se preocupa em ensinar conteúdos, mas acima de tudo, ensinar a viver. E ninguém vive bem sozinho: “SOMOS PROTAGONISTAS DAS MUDANÇAS QUE QUEREMOS”.

Ao fazer uma retrospectiva e ao comparar suas atitudes atuais com as do início do ano, os alunos se deparam com uma quantidade imensa de vivências e mudanças. Se tivessem sido avisados em fevereiro que ao final de 2014 teriam: organizado campanhas, palestras, falariam em público com tranquilidade e de improviso, contatariam diversas pessoas até então desconhecidas e tidas como inacessíveis, ficariam muito alegres tanto na presença da 3ª idade quanto de crianças, limpariam uma rodovia, entregariam roupas, alimentos, participariam do Dia da Árvore, da Feira do Livro, do Desfile de 7 de Setembro, do Encontro de Jovens Pescar, venderiam mudas de árvores, participariam de um vídeo clipe, planejariam uma área verde, entre outras muitas e muitas ações, é possível que duvidassem... Mas fizeram e tem feito muito mais do que isso. E o principal, que tem feito toda a diferença, é DIZER SIM A TODO DESAFIO LANÇADO PELA VIDA.

Os resultados não podem ser listados, tampouco são tangíveis. Podemos calcular o nível de empregabilidade, que em 2013 era de 87% em Tupanciretã. Podemos coletar os depoimentos dos egressos, daqueles que se colocaram no mercado de trabalho, que adquiriram bens, estabilidade, alcançaram sonhos de consumo e de posição social. Mas os principais ganhos daqueles que se abriram para a experiência PESCAR são os ganhos internos, de superação, maturidade, ética, cidadania, solidariedade, motivação, interesse, responsabilidade, atitude, felicidade, enfim, PROTAGONISMO.

Jovens e voluntários, parceiros e mantenedores, entidades apoiadoras e comunidade em geral, todos somos pessoas. As chances e oportunidades que cada um tem são diferentes, mas todos, sem exceção podem fazer o melhor com as circunstâncias que se apresentam. Os pescares não são diferentes dos alunos que não ingressaram neste sistema, porém, tornam-se especiais, por se deixarem tomar pela esperança e vontade de ser melhores do que eram.

O Processo Seletivo para a turma 2015 já começou! O Pescar continua em sua tarefa de formação cidadã e você pode ser um parceiro desta entidade, colaborando de forma inteligente para as mudanças que também quer ver. Não dê o peixe, ensine a pescar!

 

 

 

 

Esta notícia possui arquivos para download: